HealingMed

  • Dispositivo geko™
    Indicações de Uso
  • Dispositivo geko™
    Aplicações
  • Tecnologia
    OnPulse™
  • Dispositivo geko™
    Perguntas Frequentes
  • Dispositivo geko™
    Vídeos

  O que faz e como funciona

O dispositivo geko™, alimentado pela tecnologia de eletroestimulação neuromuscular OnPulse™ é capaz de aumentar o fluxo sanguíneo para ajudar a prevenir e tratar uma série de condições médicas agudas.

Alimentado por bateria e descartável, o dispositivo geko™ tem o tamanho de um relógio de pulso e é utilizado no joelho, estimulando de forma suave o nervo fibular comum, ativando assim a contração dos músculos da panturrilha e do pé, o que aumenta o fluxo sanguíneo nas veias profundas da panturrilha.

  Dispositivo de Aplicações Hospitalares

  Indicações de Uso

  Posicionando o Dispositivo

O dispositivo geko™ tem a marcação CE de dispositivo médico e seu uso é indicado para:

• Aumentar a circulação sanguínea.

• Prevenir trombose venosa.

• Prevenir e tratar edemas.

• Tratar insuficiência venosa e isquemia.

Clique na imagem para assitir ao vídeo.

  Características e Benefícios

• 11 níveis de potência atendem a uma ampla variação na capacidade de resposta à estimulação dos pacientes.
• Aumenta o fluxo sanguíneo, correspondente a 60% de uma caminhada, nas veias profundas da panturrilha, que é o local em que se formam os trombos iniciais.
• Contração muscular indolor de 1Hz por segundo.
• Sem fios ou cabos. Sem risco de tropeço. Permite a mobilidade do paciente.
• Pesa somente 10g. Pequeno, leve e confortável. Rápido e fácil de posicionar.

  • Prevenção de Edemas
    no Pós-operatório
  • Prevenção de TEV
    AVC Agudo
  • Redução de Edemas no Pré-operatório
    Fratura de Tornozelo
  • Redução de Edemas no Pós-operatório
    Artroplastia do Quadril
  • Prevenção de TEV
    Estudo das Veias Profundas

Edemas no pós-operatório de artroplastia total de joelho podem prejudicar a reabilitação, devido ao enfraquecimento da musculatura dos quadríceps.1,2,3

Um mês após a cirurgia, a força dos músculos do quadril apresenta queda de funcionalidade de até 60% de seu estado pré-operatório, ainda que o processo de reabilitação se inicie 48 horas após o procedimento.4,5

Fraqueza muscular, em particular a do quadril, tem consequências funcionais importantes, especialmente nos indivíduos idosos, e pode estar associado à redução da qualidade da caminhada, equilíbrio, habilidade de sentar e levantar e aumento no risco de queda desses indivíduos.6,7

O desempenho funcional afetado também pode estar associado ao tempo de permanência hospitalar8 – o inchaço do joelho é conhecido por aumentar as taxas de deiscência e infecção da ferida operatória9, podendo afetar o processo de reabilitação desses pacientes.

  Causalidade

O comprometimento da força do quadril está frequentemente associado a edemas de joelho10. A atividade de reflexo espinhal, originada pelo inchaço, pode diminuir a força da musculatura do quadríceps. Com o tempo, as fibras dos músculos podem atrofiar, devido à falta de uso. Estratégias para combater a fraqueza muscular precoce do quadríceps devem incluir o tratamento do edema subjacente.1

  Benefícios Associados ao geko™

A diretriz do NICE (MTG19) recomenda o uso do dispositivo geko™ para redução do risco de TVP (Trombose Venosa Profunda) em pacientes para os quais medicamentos ou compressão mecânica foram contraindicadas ou impraticáveis.

1. Stevens-Lapsley E et al. Early Neuromuscular Electrical Stimulation to Improve Quadriceps Muscle Strength After Total Knee Arthroplasty: A Randomized Controlled Trial. Phys Ther 2012 Feb; 92(2): 210–226. Published online 2011 Nov 17. doi: [10.2522/ptj.20110124].
2. Pua YH. The Time Course of Knee Swelling Post Total Knee Arthroplasty and Its Associations with Quadriceps Strength and Gait Speed. J Arthroplasty. 2015 Jul;30(7):1215-9. doi: 10.1016/j.arth.2015.02.010. Epub 2015 Feb 19.
3. Palmieri-Smith R M et al. Pain and Effusion and Quadriceps Activation and Strength. J Athl Train. 2013 Mar-Apr; 48(2): 186–191. doi: [10.4085/1062-6050-48.2.10].
4. Milzner RL et al. Early Quadriceps Strength Loss After Total Knee Arthroplasty. The Contributions of Muscle Atrophy and Failure of Voluntary Muscle Activation. J Bone Joint Surg Am. 2005 May;87(5):1047-53. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15866968.
5. Bade MJ et al. Outcomes Before and After Total Knee Arthroplasty Compared to Healthy Adults. J Orthop Sports Phys Ther. 2010 Sep;40(9):559-67. doi: 10.2519/jospt.2010.3317.
6. Rantanen T et al. Association of Muscle Strength With Maximum Walking Speed in Disabled Older Women. Am J Phys Med Rehabil. 1998 Jul-Aug;77(4):299-305.
7. Milzner RL et al. Quadriceps Strength and the Time Course of Functional Recovery After Total Knee Arthroplasty. J Orthop Sports Phys Ther. 2005 Jul;35(7):424-36.
8. Brock TM et al. Short-stretch Inelastic Compression Bandage in Knee Swelling Following Total Knee Arthroplasty Study (STICKS): Study Protocol for a Randomised Controlled Feasibility Study. Trials 2015;16:87.
9. Yu GV et al. The Jones Compression Bandage. Review and Clinical Applications. J Am Podiatr Med Assoc 2002;92:221-31.
10. Holm B et al, Loss of Knee-Extension Strength is Related to Knee Swelling after Total Knee Arthroplasty. Arch Phys Med Rehabil. 2010 Nov;91(11):1770-6. doi: 10.1016/j. apmr.2010.07.229.

A prática atual reconhece que a redução na estase venosa dos membros inferiores diminui a incidência de TVP em pacientes diagnosticados com AVC agudo1. Há, também, o reconhecimento de que TVP é um trombo que se forma com mais frequência nas veias profundas da panturrilha2.

Um estudo conduzido por Labropoulos et al. demonstrou que a TVP na região da panturrilha foi detectada em 285 membros de 251 pacientes examinados. As veias fibulares apresentaram a maior incidência, com 115 membros afetados (41%), enquanto o envolvimento das veias tibial posterior e gastrocnêmias foi de 37% e 29%, respectivamente2.

Em outro estudo publicado pelo Professor Andrew Nicoladies e pela Dra. Maura Griffin foram calculados os efeitos do dispositivo geko™ no fluxo sanguíneo das veias profundas da panturrilha3. O estudo mostrou significância estatística (P<0.001-0.05), com aumento relevante de volume e velocidade nas veias gastrocnêmias, fibular e tibial posterior. Essa foi a primeira vez que um dispositivo mecânico demonstrou capacidade de melhorar o fluxo sanguíneo para prevenção de estase nas veias profundas da panturrilha. As descobertas têm relevância clínica para as necessidades não atendidas de profilaxia para TVP.

A prática atual também se baseia no estudo CLOTS-3*, que relata que somente cerca de 31% dos pacientes diagnosticados com AVC tiveram aderência perfeita à compressão pneumática intermitente (CPI). Além das contraindicações para CPI, os pacientes também tornaram-se intolerantes ao uso da própria CPI. Esses pacientes, que receberam somente o tratamento padrão, sem intervenção mecânica, apresentaram um risco de 8,7% de desenvolver TEV sintomático4. Isso sugere um nível significativo de necessidades não atendidas e de carga clínica associada.

Por meio de uma auditoria clínica prospectiva de 1.000 pacientes, a Firstkind fez parceria com o NHS, a fim de avaliar o uso do dispositivo geko™ como profilaxia para TEV nos cuidados de AVC agudo.

Os dados de mundo real coletados mostraram que 29,5%1 dos pacientes diagnosticados com o AVE, que precisaram de profilaxia mecânica, tiveram contraindicação ou se tornaram intolerantes ao uso de CPI. Foi para esse grupo de paciente com necessidades não atendidas que o dispositivo geko™ foi avaliado.

*O estudo CLOTS-3 forneceu evidência que serviu como base para a recomendação da diretriz do NICE, para uso de CPI como principal profilaxia para TEV.

  Mostra de Resultados5

• O uso do dispositivo geko™ resultou em uma taxa muito baixa de TEV, sem nenhum relato de TEV no grupo tratado com esse dispositivo.

• O geko™ foi bem tolerado e ofereceu uma estratégia de profilaxia alternativa ao uso de CPI, garantindo que todos os pacientes pudessem receber uma prevenção de TEV.

1. CLOTS3 health technology assessment 2015 volume 19 issue 79
2. Labroupoulos N, Webb M, Kang SS, Mansour A, Filliung DR, Size GP, et al. Patterns and distribution of isolated calf deep vein thrombosis. J Vasc Surg 1999;30:787-91.
3. A.Nicolaides, M Griffin, Measurement of blood flow in the deep veins of the lower limb using the geko™ neuromuscular electro-stimulation device. Journal of International Angiology August 2016-04.
4. M. Dennis; P. Sandercock; J. Reid; C. Graham; J. Forbes; G. Murray. Effectiveness of intermittent pneumatic compression in reduction of risk of deep vein thrombosis in patients who have had a stroke (CLOTS 3): a multicentre randomised controlled trial. Lancet. 2013; 382(9891):516-24.
5. J. Williams1, C. Roffe1, Natarajan1, C. Moss1, C. Lambert1, L. Richards2. The use of the geko™ device and the activation of the foot and calf pumps for prevention of venous thromboembolism in patients with acute stroke. 1. University Hospital of North Midland NHS Trust, Acute Stroke Unit, Stoke on Trent, United Kingdom. 2. Undergraduate School of Medicine- Keele University, Stoke on Trent, United Kingdom.

Acelerando o período pré-operatório de pacientes com fratura de tornozelo que necessitam de cirurgia reparadora.

  Controle do Edema

O edema na região do tornozelo pode gerar atraso significativo para a realização da cirurgia, tendo em vista os riscos associados, tais como infecções pós-cirúrgicas e deiscência cirúrgica1.

Tratamentos que possibilitam a redução das áreas de edema e que, consequentemente, diminuem o tempo pré-cirúrgico, promovem benefícios significativos aos pacientes1.

  Protocolos

Os protocolos atuais têm como padrão a elevação do membro lesionado, associado à:
•  Bota gessada
•  Bota gessada + fixação externa
•  Bota gessada + compressão intermitente

  Eficiência

O dispositivo geko™ é comprovadamente eficiente na redução da espera cirúrgica. Um estudo prospectivo e retrospectivo, conduzido por um grande centro de traumas do NHS, investigou o uso do geko™ para reduzir o edema pré-operatório em pacientes com fratura no tornozelo, que têm necessidade de cirurgia reparadora, e comparou os resultados aos protocolos atuais de atendimento.

O dispositivo geko™ foi posicionado acima dos moldes de gesso. O estudo considerou a colaboração do paciente e o tempo de tratamento pré-cirúrgico e fez a comparação com a coorte histórica.

Os dados do estudo foram estatisticamente significantes com relação à aceleração da preparação para cirurgia: p = 0.0012.

  Resultados

• Agilizou o procedimento cirúrgico em 2 dias por paciente (em média).
• Com o uso do geko™, 60% dos pacientes estavam prontos para a cirurgia em até 2 dias, comparados a 27% do grupo controle. Melhoria de 122%.
• Tratamento usual = 3,66 dias para os pacientes estarem aptos ao procedimento.
• Bota gessada + geko™ = 1,66 dias para os pacientes estarem aptos ao procedimento.
• O geko ™ foi bem tolerado e considerado fácil de usar.

  Benefícios clínicos associados

• Melhora na cicatrização da ferida operatória e redução nas chances de infecção2,3.
• Reabilitação mais rápida3.
• Agilização do período pré-operatório e consequente redução do tempo de internação total4.

  Benefícios do geko™ associados

As diretrizes do NICE (MTG19) recomendam o uso de geko™ para redução no risco de desenvolver TVP em pacientes que são contraindicados para uso de medicamentos e dispositivos mecânicos5.

  Estudos Clínicos

Estudos clínicos comprovaram que o dispositivo geko™ aumenta a velocidade de fluxo sanguíneo nas veias profundas em pacientes com tala gessada:
• Griffin e Nicolaides reportaram que o uso do geko™ promoveu uma melhora significativa na velocidade do fluxo sanguíneo das veias profundas da panturrilha (p=0.001-0.05), local em que costumam se formar os trombos iniciais6.
• Warwick et al reportaram que o geko™ gerou um aumento significativo na velocidade do fluxo sanguíneo em pacientes que usavam tala gessada (p=0.001-0.003), local em que a ativação muscular da panturrilha é reduzida7.

1. Keehan R, Guo S, Ahmad R, Bould M. Impact of intermittent pneumatic foot pumps on delay to surgery following ankle fracture. Foot Ankle Surg 2013 Sep;19(3):173-176.
2. James Cook, retrospective data on file, April 2017, Firstkind.
3. Caschman J, Blagg S, Bishay M. The efficacy of the A-V Impulse system in the treatment of posttraumatic swelling following ankle fracture: a prospective randomized controlled study. J Orthop Trauma 2004 Oct;18(9):596-601.
4. NHS Modernisation Agency. Theatre Programme. Step Guide to Improving Operating Theatre Performance. June 2002.
5. NICE medical technologies guidance (MTG19). Published date: June 20 2014.
6. A.Nicolaides, M Griffin, Measurement of blood flow in the deep veins of the lower limb using the geko™ neuromuscular electro-stimulation device. Journal of International Angiology August 2016-04.
7. Warwick D, et al. Neuromuscular electrostimulation via the common peroneal nerve promotes lower limb blood flow in a below-kneecast: A potential for thromboprophylaxis. Bone Joint Res 2013; 2:179–85.

Pacientes eletivos e pacientes com fratura no quadril, principalmente aqueles com comorbidades e vascularização comprometida, têm maior risco de complicações pós-operatórias, como edemas, que podem prejudicar a perfusão tecidual local e a cicatrização de ferimentos cirúrgicos1.

  A Causa

A contração muscular prejudicada da panturrilha, resultado de imobilidade e de insuficiência venosa, pode causar um retorno venoso ineficaz, provocando a formação de edemas pós-operatórios, o que pode impedir a entrega de oxigênio e a cicatrização de ferimentos cirúrgicos2.

  O Tratamento

O dispositivo geko™, que aumenta a contração muscular para melhorar o fluxo sanguíneo3, reduz a diferença de pressão entre os capilares sanguíneos e o tecido circundante, além de transferir fluido tecidual de volta às veias e aos vasos linfáticos4.

Um estudo randomizado controlado, comparou os efeitos do dispositivo geko™ e de meias de compressão em pacientes que passaram por artroplastia total do quadril. O estudo mostrou que o geko™ é mais efetivo que meias de compressão na prevenção de edemas pós-operatórios5.

1. Paul W. Ackermann, David A. Hart. Influence of Comorbidities: Neuropathy, Vasculopathy, and Diabetes on Healing Response Quality. Adv Wound Care (New Rochelle). 2013 Oct; 2(8): 410–421.
2. Extracts taken from ‘The Principles of Wound Healing’ by Andrew Hsu, MD, and Thomas A. Mustoe, MD, FACS chapter 1.
3. Tucker AT et al. Int J Angiol.2010 Spring; 19(1):e31-e37.
4. Carpentier P, Nicolaides A. New Insights into Calf Muscle Pump Function. Phlebolymphology.org. Report from the 19th European Chapter Meeting (EUROCHAP). Phlebo Lymphology, Vol 18. 2011.
5. Wainwright TW, Immins T, Middleton RG, Poster Physiotherapy UK, October 2014, Birmingham.

O dispositivo geko™ previne estase nas veias profundas da panturrilha, local em que há formação de trombos mais precocemente.

Um estudo publicado pelo Professor Andrew Nicolaides e pela Dra. Maura Griffin mediu o efeito do dispositivo geko™ no fluxo sanguíneo das veias profundas da panturrilha. Este mostrou aumentos relevantes de volume e de velocidade nas veias gastrocnêmias, fibular e tibial posterior – de importância clínica especial, tendo em vista que trombos iniciais costumam se formar nessas veias1.

O estudo relata a primeira vez que um dispositivo mecânico demonstrou capacidade de melhorar o fluxo sanguíneo para prevenção de estase nas veias profundas da panturrilha, que é o resultado da dorsiflexão única alcançada pelo dispositivo geko™. Diante dessa capacidade comprovada de prevenir estase nas veias profundas da panturrilha, o estudo recomenda firmemente o uso do dispositivo geko™ como prevenção para TEV.

As leituras de fluxo do Doppler validam a contração muscular e o aumento do fluxo sanguíneo rítmico nas veias fibulares, antes e depois da aplicação do dispositivo geko™. Elas mostram aumentos nítidos, tanto no volume como na velocidade de pico.

O efeito da eletroestimulação neuromuscular na velocidade de pico e no fluxo de volume, nas 3 veias da panturrilha estudadas, é mostrado aqui.

Os gráficos ilustram os maiores aumentos na velocidade de pico e no fluxo de volume que ocorreram nas veias fibulares, seguidos das veias gastrocnêmias e, por fim, das VTP.

  1. A Nicolaides, M Griffin. Measurement of blood flow in the deep veins of the lower limb using the geko™ device neuromuscular electro-stimulation device, Journal of International Angiology, August 2016-04.

A tecnologia OnPulse™ estimula o nervo fibular comum, ativando as contrações dos músculos da panturrilha e do pé, o que resulta em uma contração muscular isométrica e aumenta o fluxo sanguíneo, para prevenir e tratar uma ampla variedade de condições médicas agudas e crônicas.

A Firstkind desenvolve dispositivos terapêuticos vestíveis multifuncionais. A tecnologia clinicamente comprovada OnPulse™, integrada ao dispositivo geko™, combina um profundo conhecimento de eletroestimulação neuromuscular (EENM) a um design amigável.

Simulando os sinais nervosos do próprio corpo, a contração muscular induzida pela EENM OnPulse™ provoca dorsiflexão de baixa força no tornozelo, por meio da estimulação do nervo fibular comum. Isso diferencia a tecnologia OnPulse™ das EENM tradicionais, como estimuladores musculares, pois estes usam estimulação elétrica diretamente no músculo, para forçar a contração de um único músculo – muitas vezes, usando amplitudes de estímulo grandes e desconfortáveis.

A estimulação nervosa de baixa frequência OnPulse™ envia uma corrente de forma transcutânea, por meio de eletrodos não-invasivos, posicionados na superfície da pele, sobre o nervo fibular comum. A corrente serpenteia o pescoço do osso fibular, por trás da cabeça da fíbula. O hidrogel condutivo presente nos eletrodos facilita a adesão e o movimento da corrente do eletrodo para a pele.

Clinicamente comprovada, a tecnologia OnPulse™ estimula os neurônios motores dentro do agrupamento nervoso (nervo fibular comum, nervo poplíteo externo, nervo poplíteo lateral), que levam sinais às fibras musculares, causando, assim, a contração.

Ao estimular o nervo fibular comum, proximal à bifurcação posterior/anterior, a tecnologia OnPulse™ ativa de forma simultânea os músculos tibial, fibular longo e gastrocnêmio lateral. Juntas, suas contrações comprimem o sistema venoso, evacuando sangue para as veias profundas da panturrilha de maneira eficiente, com uma taxa correspondente a 60% de uma caminhada, sem mudança na taxa cardíaca ou na pressão sanguínea.

Em geral, dispositivos de estimulação elétrica classificam-se em três categorias: estimulação elétrica neuromuscular (EENM – a tecnologia OnPulse™ provoca contração muscular, por meio de estimulação nervosa indireta, para aumentar o fluxo sanguíneo), estimulação nervosa elétrica transcutânea (TENS – historicamente usada para alívio das dores) e estimulação elétrica funcional (FES – amplamente usada para fortalecimento muscular). No entanto, em geral, esses termos são usados de forma intercambiável em literaturas, o que pode causar confusão. Portanto, em vez do rótulo de uma categoria, é importante olhar os parâmetros de um dispositivo, para determinar seus efeitos clínicos. Diferente de qualquer outra forma de EENM, a tecnologia OnPulse™ gera compressão intermitente dos membros, sem compressão externa, para provocar contrações na panturrilha.

Conforme a compreensão de novas aplicações e abordagens clínicas se expandem, são inseridos novos parâmetros de tratamento nos dispositivos de EENM da FirstKind, a fim de entregar, aos pacientes, resultados terapêuticos pioneiros.

O dispositivo geko™ é alimentado pela tecnologia de eletroestimulação neuromuscular OnPulse™ e tem comprovação clínica de sua capacidade de elevar a circulação sanguínea numa série de terapias hospitalares, como prevenção de tromboembolismo venoso (TEV) e prevenção e tratamento de edemas.

O dispositivo geko™ aumenta o fluxo sanguíneo arterial, venoso e microcirculatório. Ele tem a marcação CE e é indicado para:
• aumentar a circulação sanguínea
• prevenir trombose venosa
• prevenir e tratar edemas
• promover a cicatrização de lesões de tendões e ligamentos.

Fácil de usar, o geko™ é um dispositivo de eletroestimulação neuromuscular descartável, alimentado por bateria e desenvolvido para aumentar o fluxo sanguíneo nas veias profundas da perna.
O dispositivo geko™ estimula suavemente o nervo fibular comum, ativando contrações nos músculos da panturrilha e do pé, o que resulta num aumento do fluxo sanguíneo e na redução de edemas.
Luzes de LED verdes indicam quando o dispositivo está ligado e qual o nível de estimulação selecionado. Na parte das alças que faz contato com a pele, há eletrodos negativos e positivos cobertos por hidrogel condutivo à base de água, o que permite uma aderência segura. Eles fazem a eletroestimulação neuromuscular no nervo fibular comum sem causar dor.

O dispositivo geko™ é usado em hospitais por profissionais da linha de frente:
• Cirurgiões
• Profissionais da enfermagem
• Fisioterapeutas

O profissional da saúde que prescrever o dispositivo informará qual o protocolo baseado em sua condição. Por exemplo, para prevenção de tromboembolismo venoso, o dispositivo deve ser usado 24 horas por dia, em ambas as pernas, durante a fase aguda (entre o primeiro e o sexto dia). Para redução de inchaço causado por fratura no tornozelo, em pacientes que precisam de reparo cirúrgico, o uso contínuo, por 48 horas, na perna afetada reduz o inchaço e antecipa a prontidão para cirurgia.

O tempo de vida útil do dispositivo geko™ é controlado por um relógio que funciona em seu software. Por meio de testes extensivos, sabe-se que, ao final de seu prazo de validade, a bateria tem capacidade suficiente para operar, de forma confiável, por 30 horas na configuração máxima. Conforme a bateria perde capacidade, sua voltagem cai e, ao atingir certo limite, o dispositivo pode não funcionar de maneira confiável. Para manter a profilaxia de TEV, os dispositivos precisam ser capazes de operar de forma confiável. Uma vida útil de 30 horas permite uma operação contínua de 24 horas com uma reserva de tempo na qual profissionais da saúde ocupados podem trocar o dispositivo e, assim, manter a profilaxia diária de TEV.

Com o dispositivo ativado, procure observar movimentos visíveis nos músculos da perna e no pé. Apenas o movimento leve nos músculos da perna não é o suficiente. Deve haver movimento visível tanto na perna quanto no pé.

Não, não há sensação de dor. Há a sensação de contração dos músculos da perna, que podem levar alguns minutos até que o paciente se acostume. Após isso, é comum esquecer-se que você está usando o dispositivo.

O dispositivo geko™ aumenta o retorno venoso nos membros inferiores. Essa redução na pressão venosa diminui a resistência dos capilares periféricos, o que melhora o fluxo sanguíneo arterial. Isso pode ser observado por meio da medição direta do sistema arterial e da melhora na ejeção cardíaca, além da redução/supressão do fluxo diastólico reverso, cujas consequências permitem a entrega de mais sangue oxigenado e o fluxo de nutrientes para todo o membro inferior.
• Aumenta a oxigenação dos tecidos da pele no membro inferior e no pé
• Também auxilia na remoção de dióxido de carbono e de resíduos metabólicos no membro inferior

Para a medição dos efeitos do dispositivo geko™ no aumento do fluxo sanguíneo, usa-se o fluxo do paciente em repouso como comparativo. Tucker et al. analisou o volume do fluxo sanguíneo com o dispositivo geko™ ativado e descobriu que houve um aumento de 100% na veia femoral superficial em comparação ao fluxo do paciente em repouso. A veia femoral superficial é a principal veia no processo de esvaziamento do membro inferior e é, portanto, uma boa opção para a medição do fluxo sanguíneo geral.
A medição do fluxo sanguíneo é feita por meio do ultrassom com Doppler, o que exige que o membro analisado esteja parado. Portanto, não é possível fazer a medição do fluxo durante uma caminhada.
Entretanto, sabe-se que a efetividade das contrações do músculo da panturrilha no bombeamento de sangue é aproximadamente proporcional ao grau de dorsiflexão. A dorsiflexão proporcionada pelo dispositivo geko™ é correspondente a 60% daquela alcançada durante uma caminhada.
(Tucker et al J Angio Vol 19 No 1 Spring 2010).

Não há qualquer efeito prejudicial em dormir com o dispositivo ligado. No entanto, se você acha que o dispositivo está atrapalhando o seu sono, converse com o profissional da saúde que o prescreveu, para que ele o oriente a diminuir a configuração ou até mesmo desligá-lo completamente, caso isso não prejudique o seu tratamento.

O dispositivo geko™ deve ser mantido limpo e seco. Não tome banho usando o dispositivo. A exposição prolongada à água vai amolecer o hidrogel, podendo causar a perda de sua aderência. A imersão também pode afetar a parte eletrônica e, consequentemente, prejudicar sua operação. Se o dispositivo for molhado, seja por água ou por fluidos corporais, não há perigo para o paciente. O gel adesivo é à base de água e, portanto, uma leve umidificação do gel é o suficiente para remover o dispositivo da perna quando o tratamento for concluído.

O geko™ é um dispositivo médico de utilização única. Isso significa que ele deve ser usado em apenas um paciente e somente em um ciclo de tratamento.

O dispositivo geko™ é o único que faz a eletroestimulação neuromuscular por meio do nervo fibular comum para ativar a contração dos músculos da panturrilha e do pé. Os demais dispositivos estimulam os músculos diretamente, o que pode causar menos tolerância.

A eletroestimulação neuromuscular é direcionada aos nervos motores, enquanto a estimulação elétrica nervosa transcutânea é direcionada aos nervos sensoriais.

O dispositivo geko™ tem um pulso assimétrico, de corrente constante, onda quadrada e carga balanceada. A corrente constante refere-se à potência do dispositivo geko™, que é constante em toda a duração do pulso. A voltagem do dispositivo varia de acordo com a resistência elétrica do paciente, para que se atinja a potência da corrente. O pulso de estimulação é definido como onda quadrada. Isso significa que a corrente de estimulação sobe rapidamente ao valor necessário, se mantém durante o pulso e, em seguida, cai rapidamente para zero. Isso gera uma forma retangular ou quadrada, quando medido no osciloscópio, por isso o nome.
O pulso de estimulação é seguido por outro pulso de menor intensidade (retorno), mas de maior duração (assimétrico) e polaridade oposta, para garantir que a carga elétrica geral seja zero (carga balanceada). Isso evita mudanças eletroquímicas na pele.

O forno de micro-ondas é uma unidade selada e fechada, testada com altos padrões. Portanto, não interfere no dispositivo geko™.

Não use próximo (ex.: um metro de distância) a equipamentos de onda curta/micro-onda, pois isso pode afetar o dispositivo. Devido a protocolos internacionais, a Firstkind emite esse aviso, mas, na prática, isso não afeta pacientes em hospitais. Esse aviso não se aplica a fornos de micro-ondas, que são blindados contra a transmissão de radiação de micro-ondas.

Alguns equipamentos médicos elétricos podem ser afetados por equipamentos de comunicação móveis e outras fontes de rádio. Devido a protocolos internacionais, a Firstkind avisa aos usuários que equipamentos médicos elétricos podem ser afetados por equipamentos de comunicação por radiofrequência portáteis e móveis; no entanto, o dispositivo geko™ foi testado extensivamente e mostrou que não interfere em fontes de rádio, como telefones celulares e rádio CB, e também não é afetado por eles.

As diretrizes NICE (MTG19) recomendam o uso do dispositivo geko™ para pessoas com alto risco de TEV e para aquelas que têm impossibilidade ou contraindicações para o tratamento farmacológico ou por outros métodos mecânicos na prevenção de TEV.
Conforme descrito nas diretrizes NICE, o uso do dispositivo gera economia, devido à redução no risco relativo de TVP e de condições associadas ao TEV, como a síndrome pós-trombótica. Além disso, há também economia devido ao tempo reduzido de permanência no hospital.

Não há contraindicações. Porém, há avisos e precauções. Consulte o folheto de Instruções de Uso disponível dentro da embalagem do dispositivo geko™.

Siga as instruções de aplicação disponíveis na embalagem.

O dispositivo geko™ é desenvolvido para 24 horas de uso. Normalmente, a bateria tem vida útil de 30 horas. Após isso, o software desliga o dispositivo permanentemente.
Acesse as Instruções de Uso para mais detalhes.

• Nenhuma medida especializada é necessária para o descarte dos eletrônicos e da bateria do dispositivo geko™.
• As baterias devem ser descartadas de acordo com a legislação local.
• A bateria pode ser removida abrindo o compartimento em que está alocada.
• Não incinere a bateria.
• Descarte o dispositivo geko™ como resíduo doméstico.

O dispositivo geko™ tem prazo de validade de dois anos, e a data de expiração é impressa em todas as embalagens.

Não há avisos ou precauções para o uso do dispositivo geko™ próximo a implantes de metal cirúrgicos. O único problema que o usuário pode encontrar é em caso de neuropatia periférica no nervo fibular comum, que pode ser causada pelos implantes de metal ou pela cirurgia. O dispositivo geko™ estimula o nervo fibular comum, causando contração muscular e aumento no fluxo sanguíneo; portanto, se o nervo estiver danificado, o músculo pode não ser estimulado. Nesse caso, você não sofreria nenhum efeito prejudicial. No entanto, consulte um profissional da saúde para verificar se há neuropatia.

Não. Não há qualquer matéria-prima de origem animal no dispositivo geko™.

Não. O dispositivo geko™ não é produzido usando látex ou ftalatos.

Curativos usam adesivos diferentes dos usados pelo geko™. Reações cutâneas, como erupções, são complicações menores associadas à eletroestimulação. Houve relatos de algumas reações cutâneas com o dispositivo geko™, mas ainda não há dados o suficiente para determinar se os incidentes relatados estão alinhados com outros dispositivos de eletroestimulação. Os usuários são avisados sobre possíveis reações cutâneas nas Instruções de Uso do dispositivo. Em alguns casos, pode surgir inflamação ou irritação cutânea na área de contato. Remova o dispositivo ou o reposicione nos locais de aplicação alternativos. Os detalhes sobre os locais de aplicação alternativos são explicados nas Instruções de Uso.
Não há relatos de casos em que as reações cutâneas representem risco grave à saúde do paciente.
Pode haver alguns casos em que uma irritação menor seja aceitável, quando comparada aos benefícios terapêuticos do geko™. Isso deve ser discutido e acordado com o seu profissional de saúde.

Não. O dispositivo geko™ não contém nada que seja conhecido por prejudicar o meio ambiente.

A Firstkind considerou os possíveis riscos associados ao uso do dispositivo geko™. Para garantir sua segurança, o dispositivo geko™ foi desenvolvido e produzido de acordo com o protocolo internacional para gerenciamento de risco de dispositivos médicos, a ISO 14971. Usando esse protocolo como base, o dispositivo geko™ foi desenvolvido e produzido para ser intrinsecamente seguro.
Foram conduzidos extensivos testes de segurança biológica para o protocolo de biocompatibilidade internacional, ISO 10993. Há dados que mostram resultados negativos para citotoxidade, sensibilização e irritação causadas pelo hidrogel; portanto, ele pode ser considerado hipoalergênico. Foram conduzidos, também, extensivos testes de segurança elétrica. Os principais protocolos internacionais são ISO 60601-1, ISO 60601-1-2 e IEC 60601-2-10, este último sendo o protocolo internacional para segurança elétrica de estimuladores musculares.
Todos os dados acima foram revisados pelo organismo notificado Organismo Notificado (SGS United Kingdom Ltd.), antes da concessão do certificado de marcação CE. A SGS United Kingdom Ltd. conta com especialistas em testes de segurança biológica e elétrica, a fim de examinar os dados disponíveis para demonstrar que o dispositivo geko™ é intrinsecamente seguro e cumpre com os protocolos de segurança internacional apropriados.

O dispositivo geko™ não foi testado especificamente com o uso de desfibriladores externos. Teoricamente, há o risco do geko™ parar de funcionar, devido à interferência elétrica, mas o dispositivo não causaria qualquer dano e não há nenhum risco adicional ao paciente. O dispositivo geko™ continua funcionando próximo a equipamentos de eletrocirurgia (diatermia); portanto, esse risco é baixo.

O geko™ não afeta a frequência cardíaca ou a pressão sanguínea; portanto, o dispositivo pode ser usado nesses pacientes com segurança.

No tópico “precauções” das instruções de uso, aconselha-se a verificar se o dispositivo está funcionando corretamente a cada duas horas, para que não haja perda significativa de profilaxia ou de tratamento, caso o paciente interfira no dispositivo.

Sim, o geko™ pode ser usado durante procedimentos cirúrgicos; no entanto, o dispositivo não é esterilizado e, portanto, não deve estar num ambiente estéril.

Sim, o uso do dispositivo geko™ é seguro na presença de equipamento de eletrocirurgia. Esse tipo de equipamento usa correntes elétricas para cortar ou cauterizar tecidos. Essas correntes geram campos elétricos e magnéticos intensos, o que pode interferir em dispositivos eletrônicos, inclusive alguns estimuladores neuromusculares. No passado, alguns estimuladores neuromusculares afetados por eletrocirurgia apresentavam mau funcionamento e causavam queimaduras nos pacientes, o que resultou na tomada de medidas por parte da indústria e de órgãos reguladores. O dispositivo geko™ foi desenvolvido e produzido para ser imune a efeitos magnéticos e elétricos gerados por equipamentos de eletrocirurgia, tornando o seu uso seguro em salas de operação com tais equipamentos.

O geko™ funciona com anestesia central (raquidiana ou peridural) ou com bloqueio regional; porém, o dispositivo não funciona imediatamente após a aplicação de relaxante muscular.
Relaxantes musculares são usados para facilitar a intubação. Durante esse período, o dispositivo geko™ não é capaz de ativar contrações dos músculos da panturrilha até que o efeito do relaxante muscular passe. Na maioria das cirurgias eletivas, isso leva cerca de 30 minutos.
A maioria das cirurgias não precisa de paralisia geral, e os ventiladores modernos ajudam na respiração do paciente; portanto, não há necessidade de relaxantes musculares para suprimir a respiração.
Portanto, o dispositivo geko™ pode ser usado na maior parte do tempo durante uma cirurgia, principalmente no período crítico, em que há maior probabilidade de formação de trombos.

A anestesia geral afeta a condução dos impulsos nervosos e, portanto, afeta a sensibilidade do nervo fibular à estimulação pelo dispositivo geko™. É muito provável que o nível de estimulação seja afetado pela anestesia e, em alguns casos, pode não haver estimulação. Se a estimulação for visível no paciente (ex.: pela contração do pé), então há aumento no fluxo sanguíneo.

Algumas drogas para bloqueio neuromuscular podem interferir no dispositivo geko™. Isso pode ser um problema no período intraoperatório, dependendo do regime anestésico empregado. Pode haver também um período de “lavagem” durante o pós-cirúrgico, em que o dispositivo geko™ pode não estimular completamente os músculos da panturrilha.

Agentes anestésicos: anestesia geral e relaxantes musculares podem afetar a resposta do dispositivo geko™.

A segurança do dispositivo geko™ não foi testada em crianças.

As Instruções de Uso afirmam que o dispositivo geko™ deve ser mantido fora do alcance de crianças e animais domésticos. A segurança e efetividade do geko™ não foi testada em pessoas menores de 18 anos. O dispositivo geko™ usa eletroestimulação neuromuscular para simular o aumento no fluxo sanguíneo que normalmente se atinge ao caminhar (até 60%), então é improvável que cause problemas em adolescentes. Portanto, é uma decisão do médico, tomada com precaução, prescrever o uso do geko™ a jovens entre 13 e 18 anos. No entanto, é aconselhável que o uso seja feito sob supervisão, para evitar mau uso.

O dispositivo geko™ já demonstrou não ser afetado na presença de equipamentos eletrocirúrgicos de alta frequência e, portanto, seu uso é seguro. Nota: algumas pessoas referem-se a esse tipo de equipamento como “diatermia”.

As Instruções de Uso contêm o seguinte aviso: “O dispositivo geko™ não é destinado ao uso em ambientes ricos em oxigênio”, porque a Firstkind não verificou se o dispositivo atende aos requisitos para essa finalidade.
Um “ambiente rico em oxigênio” sugere um ambiente em que:
• a concentração de oxigênio é superior a 25% para pressões ambientais de até 110 kPa;
• a pressão parcial de oxigênio é superior a 27,5 kPa em pressões ambientais superiores a 110 kPa.
Essas condições geralmente podem ocorrer em tendas de oxigênio hospitalares, mas não necessariamente onde o oxigênio suplementar é ministrado topicamente (ex.: nas salas de cirurgia). Para referência, a concentração “normal” de oxigênio no nível do mar é de 21%, a pressão no nível do mar é de cerca de 100 kPa e a “alta pressão” metrológica é de cerca de 105 kPa.
Em áreas com níveis mais baixos de oxigênio, como, por exemplo, tendas de oxigênio simulando alta altitude, o uso do dispositivo geko™ é adequado. Verifique com o fabricante se você tiver alguma dúvida sobre seu uso nesse tipo de ambiente.

Não aplique estimulação sobre feridas abertas ou sobre áreas da pele com inchaço, vermelhidão, infecção ou inflamação. Isso pode incluir condições como flebite, tromboflebite ou varizes em que a pele está inflamada ou comprometida.

A colocação de linha arterial é um procedimento comum em várias condições de cuidado intensivas. A medição da pressão arterial (PA) intra-arterial é mais precisa do que a medida da PA por meios não invasivos, especialmente em pacientes em estado crítico.
O gerenciamento intra-arterial da PA permite o rápido reconhecimento das alterações da PA, que são vitais para os pacientes em infusões contínuas de drogas vasoativas.
A canulação arterial também permite que amostras repetidas de gases no sangue arterial sejam coletadas sem danos ao paciente.
De modo geral, a colocação de linha arterial é considerada um procedimento seguro, com uma taxa de maiores complicações inferior a 1%. Porém, não é totalmente livre de riscos e exige o conhecimento apropriado da anatomia, além de habilidades cirúrgicas. Linhas arteriais podem ser posicionadas em múltiplas artérias, incluindo a radial, ulnar, braquial, axilar, tibial posterior, femoral, além das artérias dorsais do pé.
A linha arterial não interfere diretamente no geko™.
Quando a linha arterial é colocada na artéria dorsal do pé, ela precisa estar muito segura, tendo em vista que o geko™ provoca o movimento de dorsiflexão do pé a 1 Hz. Os médicos devem inspecionar a área regularmente, a fim de verificar sinais de isquemia e para remover o cateter no primeiro sinal de comprometimento circulatório ou de formação de trombo. Não lave o cateter na tentativa de remover coágulos.
O pulso de estimulação do geko™ não interfere no transdutor que mede a PA, pois ele fica eletricamente isolado.

Existe uma chance muito pequena de o geko™ ser desligado durante a desfibrilação. Verifique se o dispositivo ainda está ligado e provocando dorsiflexão (movimento do pé para cima e para baixo) após a desfibrilação. Se estiver desligado, reinicie o dispositivo geko™ e ajuste a configuração até conseguir a dorsiflexão.

Existem dois tipos principais de síndrome compartimental: Aguda e Crônica. O dispositivo geko™ não deve ser usado em pacientes com suspeita ou que foram diagnosticados com síndrome compartimental aguda após uma lesão traumática. A Firstkind Ltd. não possui dados que indiquem o uso do dispositivo em indivíduos com síndrome compartimental crônica induzida por exercício.

A Firstkind Ltd é uma subsidiária integral da Sky Medical Technology Ltd, uma empresa britânica de capital fechado com sede em High Wycombe e Daresbury. A Firstkind produz dispositivos médicos utilizando a OnPulse™, tecnologia de eletroestimulação neuromuscular de propriedade da Sky Medical, desenvolvida para melhorar a circulação do corpo, a fim de aumentar a circulação sanguínea dos membros inferiores.

Mais informações?
Fale conosco.